Uso excessivo de celular pode ocasionar “pescoço de texto”


O momento em que vivemos atualmente é de grandes mudanças no cenário mundial que provém, principalmente, do desenvolvimento tecnológico. Por meio dele, temos acesso a uma quantidade cada vez maior e melhor de ferramentas que acabam influenciando as nossas vidas de diversas formas.
Uma dessas ferramentas é o aparelho celular, que se tornou um companheiro quase inseparável, visto por muitas pessoas como um bem essencial no dia a dia. Além de facilitar a comunicação com quem está distante, tornou-se uma agenda pessoal, GPS, câmara fotográfica, entre outras funções. Estudos apontam que cerca de 1,1 bilhão de pessoas no mundo possuem um smartphone e essa quantidade deve triplicar até o fim de 2018.
Porém, não é novidade que o uso excessivo do celular pode causar danos à saúde, entre elas, na postura do usuário. Especialistas, em especial os fisioterapeutas, têm alertado seus pacientes sobre uma disfunção que tem atingindo cada vez mais pessoas nos últimos anos: o pescoço de texto. O fisioterapeuta intensivista do Hospital Samel, Elton Rico, explica que o pescoço de texto é uma “síndrome causada pelo uso prolongado de celulares, tablets ou qualquer outro dispositivo eletrônico, onde o utilizador fica com o pescoço em posição de flexão acentuada”. 
Elton Rico
Fisioterapeuta intensivista do Hospital Samel
 
Elton explica que “todos nós temos uma linha média entre a coluna vertebral e a cervical. Quando ultrapassamos essa linha média ao baixar muito a cabeça, uma tensão é ocasionada na parte anterior da cervical e por alongar excessivamente a musculatura posterior da cervical, surge uma fraqueza.
 Essa tensão gerada na parte anterior da cabeça provoca dor e desconforto e quando você começa a perceber esses sintomas, é porque o corpo já tentou se adaptar de várias formas e chegou ao limite”.
Dessa forma, o simples hábito de checar e enviar mensagens de texto, acessar as redes sociais, navegar na internet ou utilizar aplicativos do celular, por exemplo, pode ocasionar uma pressão acentuada nas partes frontais e traseiras do pescoço. 
De acordo com Elton Rico, “quando a cabeça é muito inclinada para frente, a pressão na nuca aumenta, como se um peso de 25 a 30 kg estivesse sobre a cabeça”. Além disso, o hábito também pode causar dores de cabeça e, em alguns casos, piorar a artrite. Para evitar esse problema, o fisioterapeuta faz algumas recomendações. “Corrigir a postura é essencial para evitar o pescoço de texto”.  Alguns exercícios também podem ajudar. “O que mais recomendamos é que a pessoa deite-se no chão ou encoste em uma parede e comece a estender cabeça, a nuca e os ombros suavemente para trás, até alongar totalmente”.