Setembro Amarelo: um mês especial para diálogo e prevenção ao suicídio

ONG Centro de Valorização à Vida, com o apoio do Ministério da Saúde, conscientiza sobre o tema que ainda é considerado tabu.

A cor amarela significa alerta e, exatamente por isso, foi escolhida pela organização não governamental Centro de Valorização à Vida (CVV) para a promoção de um mês dedicado à saúde mental e preservação da vida. Batizado como Setembro Amarelo, o mês conscientiza a população sobre formas de prevenir as altas taxas de suicídio no Brasil. Atualmente o país registra um caso a cada 46 minutos, de acordo com dados do próprio Ministério da Saúde.

Para dar visibilidade ao problema, o CVV tem o objetivo de falar abertamente sobre a questão de saúde pública que se tornou o suicídio, por muitos ainda tratado como tabu. Integrando essa ação educativa, a Samel preparou uma lista de atitudes que podem ser úteis no momento de apoiar uma pessoa depressiva ou sob risco de suicídio.

Saiba ouvir

Ouvir o que o outro tem a dizer, não julgar ou banalizar o problema faz com que a pessoa se sinta acolhida e ciente de que pode contar com o seu apoio sempre que precisar.

Fique por perto

Sabendo de um risco iminente, não deixe que a pessoa se sinta ou esteja sozinha, principalmente próxima a itens nocivos, como objetos cortantes, armas de fogo, medicamentos ou pesticidas.

A melhor opção em casos emergenciais é telefonar para um serviço de atendimento a crises, onde é possível ter o apoio de profissionais da área, como psiquiatras ou psicólogos. O número de apoio do CVV é o 188.

Incentive a busca de um profissional

Ofereça seu apoio e incentive a busca por um especialista da área, como psicólogos, terapeutas, médicos psiquiatras ou assistentes sociais. Conversar sobre inseguranças, pensamentos e angústias ajuda a aliviar o sofrimento psíquico e esses profissionais estão capacitados a avaliar de forma neutra todas essas emoções.

Além disso, o psicólogos e terapeutas estão aptos a identificar o sofrimento psíquico que ultrapassa o limite do que é considerado normal e indicar outros profissionais que podem tratar quadros psicopatológicos, classificados como doença.

Busque alternativas

A meditação também é uma boa escolha para aliviar o desequilíbrio emocional e redução da ansiedade, no entanto, não substitui visitas a um profissional da área médica.

Apoio à distância

O Centro de Valorização da Vida oferece apoio emocional e serviços de prevenção com atendimento 24h por chat, telefonemas gratuitos para o número 188, e-mail e, até, correio. Muitas pessoas não conhecem as precauções disponíveis, por isso, levar a informação até quem está sob risco é essencial.

Saúde mental é importante

No Setembro Amarelo, além da conscientização e diálogo aberto sobre suicídio, também se discute a saúde mental de modo geral. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estar mentalmente saudável é o estado de bem-estar no qual o indivíduo consegue desempenhar suas habilidades, lidar com as inquietudes da vida, ser capaz de trabalhar de forma produtiva e contribuir para a sua comunidade.

Segundo a OMS, ter saúde mental é estar bem consigo mesmo e com os demais; aceitar as exigências da vida e saber lidar com emoções boas ou desagradáveis; reconhecer os próprios limites e buscar ajuda quando necessário.

Em algumas situações da vida – como processos de perda, luto, questões conjugais, profissionais e outros – nossa saúde mental pode ser abalada. Normalmente essas fases são superadas com o passar do tempo e não chegam a prejudicar o bem-estar do indivíduo em longo prazo. Mas,há casos em que essa superação demora mais que o esperado e o sofrimento psíquico se instala como uma doença.

Entre os problemas de saúde mental mais frequentes estão a ansiedade, depressão, mal-estar psicológico ou stress continuado, dependência de álcool ou drogas, perturbações psicóticas, como a esquizofrenia, atraso mental ou demências.

Novamente, o diagnóstico deve ser dado por um profissional da área, como um psicólogo, psiquiatra ou psicoterapeuta. Se você acredita que sofre ou que convive com alguém que sofre desse mal, procure um profissional imediatamente.

Blog da Samel

A Samel dá dicas de saúde física e mental em suas redes sociais, e conta com profissionais altamente capacitados para orientar você. Continue acompanhando o blog da Samel.

Se apresentar alguns dos sinais de que algo não vai bem, procure um de nossos profissionais. Contribua para promover a sua saúde mental e a dos outros.