Os perigos do andador infantil

Quando o bebê está no colo e começa a se “empurrar” com as pernas, significa que ele está treinando para dar os primeiros passos. Nesse momento, é comum que os pais dêem aos filhos os andadores infantis, popularmente conhecido como “anda já”, acreditando que o acessório ofereça mais independência, segurança e promova o desenvolvimento da criança. E não é bem assim que as coisas funcionam.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) condena o uso do aparelho por inúmeros motivos, entre eles, a causa de acidentes graves e o atraso no desenvolvimento motor dos bebês. De acordo com a médica pediatra do Pronto Socorro Infantil do Hospital Samel, Judith Queiroz, “o uso do andador causa má formação postural, prejudica o caminhar da criança, altera as articulações do quadril e joelho e, além disso, é uma das principais causas de acidentes domésticos”.

No Canadá, desde 2007, a venda, importação e propagandas de andador para bebês são proibidas. Outros países como os Estados Unidos também querem sua proibição. Já no Brasil, apesar das recomendações dos pediatras, o andador ainda é usado por 60% a 90% dos bebês entre seis e 15 meses de idade, segundo a SBP. 


A doutora Judith afirma que “o andador realmente dá mais independência aos bebês, porém, eles não estão preparados para tanta liberdade e acabam se machucando ao utilizá-lo”. A principal causa das quedas pelo uso do andador é a velocidade com que ele pode chegar. Além disso, qualquer objeto que engate nas rodas pode ocasionar tombos. Segundo a pediatra, “a escada é outro problema. A queda de crianças utilizando andador em escadas é muito comum, e as lesões ocasionadas por essas quedas sempre são delicadas”.


 Como estimular o bebê a andar?

Dra. Judith Queiroz
 Pediatra Coordenadora do Pronto
Socorro Infantil do Hospital

Como estratégia para incentivar os bebês a andar sem o auxílio do andador infantil, a pediatra Judith Queiroz deu algumas dicas.
 “A melhor maneira de estimular o bebê a andar é que os pais caminhem com seus filhos, segurando-os pelas mãos”.


Outra dica importante é o uso dos “cercadinhos”. Segundo a pediatra, “os pais podem deixar o bebê no cercadinho, que possui redes nas laterais. O bebê pode se apoiar nessas redes, ficar em pé e dar alguns passinhos. Isso incentiva as crianças a andarem e é muito mais seguro”.