HPV: o que é e como se prevenir?

O papilomavírus humano, conhecido principalmente como HPV, é um vírus presente na pele ou em mucosas que afeta tanto homens quanto mulheres.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), existem, atualmente, mais de 100 diferentes tipos de HPV, sendo que cerca de 40 tipos podem afetar as áreas genitais em ambos os sexos, provocando diversas doenças, como as verrugas genitais, os cânceres de útero, vagina, vulva, ânus e pênis. O HPV pode, ainda, provocar tumores na parte interna da boca e na garganta, tanto benignos quanto malignos, como câncer de garganta (orogaringe).

E como ocorre o contágio por HPV?

O vírus HPV é altamente contagioso, sendo possível contaminar-se com uma única exposição e a sua transmissão acontece por contato direto com a pele ou mucosa infectada. A principal forma é pelo contato sexual.

Qual a relação entre HPV e câncer?

A infecção por HPV é muito freqüente, mas transitória, regredindo espontaneamente na maioria dos casos. Quando a infecção persiste, é causada por um tipo viral oncogênico (que tem potencial para causar o câncer), onde pode ocorrer o desenvolvimento de lesões precursoras, que se não forem identificadas e tratadas, podem progredir para o câncer, principalmente no colo do útero.

E quais os tipos de HPV que podem causar o câncer?

De acordo com o INCA, ao menos 13 tipos de HPV podem originar o câncer (oncogênicos), apresentando maior risco ou probabilidade de provocar infecções persistentes e estar associado a lesões precursoras. Dentre os HPV de alto risco oncogênico, os tipos 16 e 18 estão presentes em cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero. Já os tipos 6 e 11, que são encontrados em 90% dos codilomas genitais e papilomas laríngeos, são considerados oncogênicos.


Como se prevenir?

Não só as mulheres, como também os homens, devem sempre usar o preservativo durante o contato sexual para evitar o HPV, porém, ele não protege totalmente a infecção, visto que não cobre todas as áreas passíveis de ser infectadas. Portanto, é preciso tomar a vacina contra a infecção.

Vacinas contra HPV

Existem duas vacinas profiláticas contra HPV aprovadas e registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), e que estão comercialmente disponíveis: a vacina quadrivalente, que confere proteção contra HPV do tipo 6, 11, 16 e 18; e a vacina bivalente, que confere proteção contra HPV 16 e 18.

O INCA informa que as vacinas são preventivas e tem o objetivo de evitar a infecção pelos tipos de HPV nelas contido. A vacina quadrivalente previne lesões genitais pré-cancerosas de colo de útero, vulva e vagina e câncer do colo do útero em mulheres e verrugas genitais, relacionados ao HPV 6,11,16 e 18.

Já a vacina bivalente está aprovada para prevenção de lesões genitais pré-cancerosas do colo do útero e câncer do colo do útero em mulheres, relacionados ao HPV 16 e 18.

E quem pode ser vacinado?

Segundo a ANVISA, a vacina quadrivalente é indicada para mulheres e homens entre 9 e 26 anos de idade e vacin
a bivalente é indicada para mulheres entre 10 e 25 anos de idade. Ambas possuem maior indicação para meninas que ainda não iniciaram a vida sexual, uma vez que apresentam maior eficácia na proteção de indivíduos não expostos aos tipos virais presentes nas vacinas.


No Brasil, a vacina contra HPV está disponível para adolescentes entre 9 e 11 anos de idade, nas Unidades de Saúde do SUS e nas escolas, e deve ser tomada em três doses. A primeira dose foi disponibilizada em março de 2015, a segunda estará disponível em setembro e a terceira será agendada para 60 meses após a data da primeira dose.

O Ministério da Saúde informa que é preciso completar o esquema vacinal, pois somente com a segunda dose é que a adolescente estará protegida.