Especial Outubro Rosa: dúvidas frequentes sobre câncer de mama

Mastologista da Samel conta sobre exames preventivos ao câncer de mama e responde dúvidas comuns sobre o assunto.

Segundo a Dra. Adryana Lima, mastologista da Samel, neste ano, cerca de 420 casos de câncer de mama foram registrados no Amazonas. É a segunda  maior causa de morte em mulheres da região norte, antecedido apenas pelo câncer de colo de útero.

Respondendo dúvidas relativas ao câncer de mama, a médica afirma que “a ultrassom e a ressonância magnética são exames complementares à mamografia”, que ainda é considerada a melhor maneira de detectar lesões iniciais ou pré-cancerígenas, sendo insubstituível para o diagnóstico.

Confira a seguir as respostas de frequentes perguntas para o Outubro Rosa, a começar pela mais comum em consultórios de mastologia:

 

Câncer de mama dói?

“Nem sempre. O câncer de mama normalmente é silencioso. Quando surgem sintomas como lesões palpáveis, feridas, alteração na coloração, no formato dos seios ou na pele, às vezes o tumor já está em um estágio avançado”, responde a mastologista.

“Tumores iniciais não são sintomáticos, logo, a paciente não tem queixas de dor”, complementa. 

 

Todo nódulo é câncer?

A doutora responde que nem todo caroço ou nódulo é indicativo da doença, mas que alguns são benignos. Entretanto, “toda paciente que observar um nódulo palpável nas mamas deve procurar um médico”, alerta.

 

O autoexame é eficaz?

Muitas mulheres conseguem detectar a presença de nódulos simplesmente pelo toque e, por estar tão detectável, poderá representar um estágio mais avançado do câncer. Para a prevenção precoce, o diagnóstico mais indicado ainda é a mamografia.

 

Quando realizar a mamografia?

A mastologista afirma que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia (BMS), a mamografia deve ser realizada dos 40 aos 74 anos, anualmente. Já o Ministério da Saúde recomenda que mulheres entre 50 e 69 anos façam o exame a cada dois anos.

 Caso haja histórico de câncer de mama na família, é possível que o médico solicite mais cedo, com maior frequência.

 

Como é o exame? Há alguma preparação?

Cada seio é colocado entre as duas placas do mamógrafo, emitindo raios x para a reprodução de imagens, o que, ao todo, dura entre 15 e 30 minutos.

 É recomendado que a paciente esteja com as axilas limpas, sem interferência de produtos como desodorante ou talco. Também é aconselhável escolher uma roupa que facilite a exposição das mamas.

 

Causa alguma dor?

O exame pode causar certo desconforto por comprimir as mamas, principalmente se realizado antes do período menstrual.

 

Quem tem prótese de silicone pode fazer mamografia?

“Pacientes com prótese mamária podem e devem realizar a mamografia” afirma, e tranquiliza: “existem técnicas específicas para esse tipo de paciente. A prótese não vai romper”.

 

E grávidas ou lactantes?

“Para grávidas, o exame não é recomendado como rotina, somente em pacientes sob suspeita”, afirma a médica. Durante o procedimento, a gestante tem o abdômen coberto para proteger o feto da radiação emitida pelo raios x.

 

A mamografia pode ser realizada durante a amamentação, com a ressalva de que a sensibilidade e tamanho dos seios nesse período é maior, podendo causar dor e maior desconforto tanto em grávidas quanto em lactantes.

 

Clique aqui e agende sua consulta.

 

Gostou? Compartilhe a informação com mais pessoas e acompanhe outros conteúdos como esse em nosso Blog. Faça a diferença!