Cuidados Pós-operatórios da Cirurgia de Catarata

Cirurgia de catarata

De acordo com dados divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a catarata é uma doença que atinge cerca de 30% da população com mais de 60 anos de idade. Além disso, é responsável por mais da metade dos casos de cegueira em todo o mundo.

A condição oftalmológica é tão frequente que, aqui no Brasil, há até mesmo mutirões oferecidos pelo Governo para verificar e operar os pacientes. Mesmo sendo comum, muitos ainda não compreender exatamente o que é a enfermidade e como funciona o pós-operatório.

O que é catarata?

A catarata é uma doença definida pela alteração do cristalino, uma espécie de lente que fica atrás da íris e nos ajuda a focalizar a imagem que enxergamos.

Para que seja possível ver de maneira clara, essa “lente” precisa ser transparente. A partir do momento que o cristalino ganha opacidade, a visão fica comprometida.

A catarata não se desenvolve de um dia para o outro. Isso significa que ela é progressiva e é possível observar a sua evolução, nota-se parte do olho tornando-se esbranquiçada. No primeiro momento, há menor percepção de contraste até chegar na cegueira completa.

Existem diversos fatores de risco para o aparecimento da doença, mas é preciso ter em mente que ela é multifatorial e pode ser congênita ou adquirida. Basicamente, a idade e a incidência de luz solar são pontos que merecem atenção.
O único tratamento é a cirurgia.

Cuidados pós-operatórios da cirurgia

A cirurgia de catarata é simples, rápida e o paciente poderá enxergar normalmente dentro de poucos dias.

Ela consiste na retirada do cristalino e substituição por uma lente nova. Apesar de corriqueiro, o procedimento pede alguns cuidados especiais no pós:

  • não coçar ou esfregar os olhos;
  • não fazer esforço físico e manter-se em repouso absoluto;
  • utilizar os colírios e medicações indicadas pelo profissional;
  • não dormir sobre o olho operado;
  • não ter contato com piscina, sol ou areia.

Apesar de serem recomendações simples, é preciso que sejam cumpridas à risca pelo paciente para que haja o sucesso completo do procedimento.

Lembre-se que consultar um oftalmologista com frequência é essencial para o diagnóstico de doenças oculares, principalmente das silenciosas, como a catarata.

Para aprender mais, continue acompanhando o blog da Samel!