Cuidados com o Recém-Nascido após alta da UTI Neonatal

O nascimento de um filho é motivo de grande felicidade para a maioria dos pais. Nove meses se passam e a espera para conhecer o rostinho do mais novo integrante da família finalmente chega ao fim.
Mas, quando o bebê nasce prematuramente, ou seja, antes das 37 semanas de gestação, a frustração e angústia tomam conta dos pais, principalmente quando recebem alta do hospital e precisam deixar seus filhos internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI Neo).

E por que os bebês prematuros precisam ir para a UTI Neonatal?

A UTI Neonatal é um setor de atendimento ao recém-nascido que presta uma assistência especial e de qualidade. Ela possui equipamentos específicos e conta com uma equipe médica e de enfermagem disponível 24 horas por dia.
Dr. Alexandre Lopes Miralha
Médico Coordenador da UTI Neonatal e Pediátrica 
De acordo com o coordenador da UTI Neonatal e Pediátrica do Hospital e Maternidade Samel, Alexandre Miralha, podem ocorrer muitos problemas na saúde dos bebês prematuros. Quanto menor a idade gestacional, maior a probabilidade de o bebê apresentar complicações, como dificuldades respiratórias, infecções, entre outras.
Mas, não são apenas os bebês prematuros que vão para a UTI. Recém-nascidos não prematuros que apresentam algum problema de saúde também podem ficar internados por algum tempo até que o quadro se estabilize.
A alta do bebê da UTI Neo se dá quando a criança está estável em suas condições clínicas, com o peso ideal, respirando sem o auxílio de aparelhos e se alimentando normalmente. Para que o bebê tenha uma plena recuperação após a alta médica, é muito importante que os pais sigam algumas recomendações e o doutor Alexandre Miralha deu algumas dicas de cuidados. Confira:

Aleitamento materno e método canguru

De acordo com o pediatra, “no Hospital Samel nós damos algumas recomendações aos pais, principalmente em relação ao incentivo ao aleitamento materno, que já começa desde a permanência do bebê na UTI”.
Além disso, o método “canguru”, também conhecido como “contato pele a pele”, tem sido proposto como uma alternativa ao cuidado neonatal para bebês de baixo peso.
Segundo Alexandre, “o método implica no contato pele a pele entre mãe e o recém-nascido de baixo peso, de forma crescente e pelo tempo que os dois entenderem ser prazeroso, o que permite, dessa forma, uma maior participação dos pais no cuidado ao recém-nascido”.

Testes periódicos

Antes da alta, o recém-nascido é submetido a alguns exames, como o “Teste do Olhinho”, o “Teste do Coração” e o “Teste do Pezinho”, que podem diagnosticar doenças relacionadas à visão, ao coração e doenças metabólicas, genéticas e infecciosas.
“É de extrema importância que os pais submetam seus filhos a estes testes para que as doenças possam ser descobertas o quanto antes e, assim, tratá-las”, ressalta.


Consultas regulares após a alta
Outra orientação dada no momento da alta são as consultas regulares. “Após sair do hospital, com cinco ou sete dias, os pais devem procurar o pediatra para fazer o acompanhamento médico do bebê. O ideal é que eles já saiam do hospital com a data da consulta marcada e que se repitam uma vez por mês.”
E não é somente o pediatra que deve acompanhar o recém-nascido. Segundo o coordenador da UTI Neo e Pediátrica do Hospital Samel, “no caso dos bebês prematuros, devem ser acompanhados também pelo fisioterapeuta e fonoaudiólogo, que são atendimentos que já começam no período de internação na UTI e que devem se estender após a alta”. Alguns bebês também precisam de acompanhamento de outros profissionais, como psicológico e neurológico e, em alguns casos, o atendimento se estende à família, com o acompanhamento de um assistente social.
 
Vacinas
As vacinas também são grandes aliadas para a plena recuperação do recém-nascido e devem ser recomendadas no momento da alta do bebê da UTI. Porém, Alexandre explica que “o calendário de vacina dos bebês prematuros pode demorar um pouco mais para começar por conta do peso, mas, assim que ele atingir 2 kg, essas vacinas já começam a ser aplicadas dentro da UTI, se for o caso, e a família recebe orientação para dar sequência nesse processo”.

Cuidados em casa

Alguns cuidados devem ser tomados quando o recém-nascido vai para casa. Segundo Alexandre, “os pais devem evitar que os bebês fiquem próximos a animais de estimação para que os pelos não sejam inalados”. Na hora de dormir, o médico orienta que a melhor posição para um sono tranquilo e seguro é de barriga para cima, o que evita que a criança se sufoque.
No Hospital Samel, os pais também recebem orientações sobre como trocar as fraldas, que deve ser frequente, para que a criança não tenha assaduras e são recomendadas as melhores pomadas que evitam esse problema.
Quanto ao uso de talcos, o pediatra orienta que ele não seja usado no bebê, “visto que ele pode aspirar e desencadear problemas respiratórios”. O mesmo acontece com perfumes. Segundo Alexandre Miralha, “os pais devem usar apenas colônias muito bem diluídas na água do banho, para que não causem danos à pele do recém-nascido”.
Outra dica que o pediatra dá é a atenção na hora do sono do bebê. “O recém-nascido deve ter o sono otimizado no sentido de que ele vai mamar e em seguida, dormir. Isso é muito importante para o crescimento da criança. Quanto mais o bebê dormir, mais ele vai crescer.” Nas primeiras semanas de vida, o recém-nascido dorme, em média, 20 horas por dia.
Outro problema muito frequente na vida do recém-nascido são as cólicas. De acordo com o pediatra, “o problema ocorre quando a criança não consegue eliminar os gases e para minimizá-lo, nos aconselhamos os pais a massagear a barriga do bebê frequentemente em movimentos circulares”.

Um comentário em “Cuidados com o Recém-Nascido após alta da UTI Neonatal