Benefícios da meditação para saúde e o bem-estar

Que tal mudar um pouco a rotina e separar uns minutos para meditar?  Muitas pessoas dizem que não tem tempo para isso. Mas se descobrissem os benefícios que a meditação oferece para nosso corpo, certamente reservariam um momento para tal.

Aprenda mais sobre essa prática saudável no post de hoje:

O que é a meditação e como ela funciona?

A meditação é um conjunto de técnicas que podem ser praticadas sozinho ou em grupo, e tem como objetivo chegar em um estado pleno para o corpo e mente. Essas técnicas exercitam a concentração e o foco do indivíduo, trabalhando seus pensamentos e emoções. Assim, é possível relaxar o corpo e a mente, além de gerar resultados positivos para a saúde, como demonstraremos nos tópicos a seguir.

Qual é a importância da meditação?

Estudos mostram que a meditação também pode auxiliar na diminuição de pensamentos distrativos, pois sua prática recorrente, auxilia na melhora da atenção, na saúde física e na qualidade das relações familiares e profissionais. 

Quais benefícios a meditação proporciona?

Pesquisas como a do Departamento de Medicina da Universidade Johns Hopkins, liderado doutor Madhav Goyal em 2014, apontaram que pessoas que fazem prática da meditação há mais tempo e com frequência, se mostraram mais felizes, estáveis emocionalmente, ativas, confiantes e tranquilas. Alguns dos benefícios da meditação que já foram comprovados em estudos e ensaios clínicos incluem:

  • redução dos níveis de estresse;
  • aumento da capacidade de concentração;
  • aumento da capacidade de memorização;
  • desenvolvimento do raciocínio lógico-matemático;
  • desenvolvimento da criatividade;
  • redução significativa da violência;
  • equilíbrio do campo emocional;
  • redução da dor crônica;
  • redução da ansiedade generalizada;
  • aumento da imunidade. 

Existe apenas um tipo de meditação?

A meditação possui mais de um tipo de técnica e prática. Pode ser realizada de diversas maneiras dependendo do objetivo do tipo de meditação aplicada. Sendo praticada para aumentar a espiritualidade, alcançar bem-estar, obter equilíbrio físico e mental, aliviar o estresse, entre outros.

Algumas variações ou tipos de meditação que podemos praticar são:

Atenção plena

Esse estilo de meditação surgiu em 1979 e não possui nenhum tipo de referência espiritual. O foco da Atenção Plena é o corpo do praticante, suas sensações e sua respiração, e tudo que é feito é direcionado a reduzir os níveis de estresse. Essa meditação também pode ser chamada de Mindfulness ou Consciência Plena.

Feche os olhos e atente-se a sua respiração, principalmente em sua velocidade. Depois, comece a prestar atenção em cada parte de seu corpo, começando pelo estômago e perceba as sensações que cada parte lhe proporciona. Identifique tudo o que você está sentindo: agitação, dores, tensões, sensibilidade.

O importante desse estilo de meditação é manter-se focado nas sensações do corpo e na respiração. Faça isso durante 30 segundos (ou um minuto), três vezes ao dia. Com o tempo, a percepção das sensações, combinadas com o foco na respiração irão reduzir os níveis de estresse e ansiedade.

Transcendental

O estilo de meditação Transcendental foi criado em 1950 e é considerado uma técnica que tem como objetivo encontrar o mais profundo eu de cada um, ativando, assim, os reservatórios de energia, criatividade e inteligência que existem em cada um.

Assim como a Atenção Plena, a Transcendental não envolve nenhuma crença ou religião. Com a prática, o praticante irá transcender, ou seja, estará em contato com o seu verdadeiro eu e todos os desequilíbrios que ele apresenta irão voltar ao normal – como níveis de estresse, ansiedade e tantos outros.

Essa técnica deve ser praticada durante 15 a 20 minutos, duas vezes ao dia, com o praticante sentado e de olhos fechados para maior concentração e foco.

Vipassana

A meditação Vipassana foi criada há mais de 2 mil anos, por Buda. Em sua essência, a intenção dessa técnica é mostrar ao ser humano as coisas como verdadeiramente são – as relações, os objetos, as sensações, os sentimentos.

Essa técnica é considerada um caminho de transformação por meio da auto-observação. Por isso, é necessário focar na conexão entre mente e corpo, em tudo o que essa ligação realiza – ações e sentimentos dos seres humanos. Por meio da meditação Vipassana, o praticante tenta alcançar o estado de mente equilibrada, livre de impurezas e amarguras.

Zazen

Zazen é uma prática da meditação muito comum nos países asiáticos, mas em especial no Japão. A forma de praticar a técnica está descrita em seu próprio nome: “za” significa sentar-se, enquanto “zen” significa o estado de meditação. Por isso, todos os praticantes ficam sentados, em alguma das três posições da técnica.

  • Posição birmanesa – É a posição mais simples, para quem tem pouca flexibilidade e não consegue colocar um dos pés ─ ou ambos ─ na coxa contrária. Na posição birmanesa, os dois pés ficam no chão, um à frente do outro. Os joelhos também devem tocar o chão.
  • Meio-lótus (hanka-fusa) – É uma posição intermediária, na qual apenas um dos pés (esquerdo ou direito) é colocado sobre a coxa oposta. O outro pé fica no chão, debaixo da outra perna. Os joelhos devem tocar o chão.
  • Lótus completo (kekka-fusa) – Sente-se na metade da frente de uma almofada e coloque o pé direito sobre a coxa esquerda e o pé esquerdo sobre a coxa direita ─ ou vice-versa. Esta posição é, entre todas, a mais estável, pois a pernas estão em perfeita simetria. Os joelhos tocam o chão naturalmente.

Zazen deve ser praticado por um período de 20 a 50 minutos, e é preciso manter-se imóvel, a não ser para pequenos e limitados movimentos de ajuste de postura. A coluna deve ficar reta e os olhos entreabertos em direção ao chão, além de outras exigências posturais. Durante todo o período, foca-se na respiração, em sua velocidade, intensidade e consistência. Deve-se focar apenas na respiração e manter a mente livre de qualquer pensamento.

Qigong

Qigong surgiu na China há milhares de anos. O objetivo da prática é equilibrar o Chi, considerado pelos chineses (e outros adeptos ao redor do mundo) a energia vital. E para equilibrar o Chi, os praticantes realizam diversos exercícios, dentre eles, a meditação.

A Qigong é realizada focando no dantian, ponto específico do nosso corpo localizado um pouco abaixo do umbigo. Ele é considerado o ponto de energia vital do corpo. Então, é necessário equilibrá-lo por meio da meditação e outras técnicas.

Acem

A meditação Acem foi desenvolvida em 1966, na Noruega, e possui inspiração na técnica de meditação Transcendental. Essa técnica deve ser praticada duas vezes por dia, em sessões de 30 minutos cada uma.  A prática inclui a simples repetição de um som emanado pelo praticante, podendo ser o da respiração, ou um suspiro, permitindo o foco em pensamentos dentro e fora da mente.

Sudarshan Kriya

Sudarshan Kriya foi um método de meditação criado por Sri Sri Ravi Shankar e que, de forma geral, acredita que a respiração é a principal fonte de energia do ser humano. Portanto, é com ela que conseguimos nos energizar e nos controlar, diminuindo níveis de estresse e aumentando a vontade de viver, além de tantos outros benefícios. Para praticá-la, é necessário usar técnicas de respiração em ritmos e ações controladas.

Yoga

Yoga (ou Ioga) é um dos tipos de meditação mais conhecidos em todo o planeta. Foi criado há mais de 5 mil anos e, desde então, ultrapassou os limites geográficos da Índia (local onde nasceu a técnica) e invadiu todo o resto do mundo.

A Yoga é uma prática que combina diversas posições corporais com movimentos de inspiração e expiração, sejam eles mais ou menos intensos, além de concentração absoluta no corpo e no que ele está realizando.

Como deve ser aplicada a meditação?

A meditação pode ser aplicada em nossa rotina diária, ao acordamos ou antes de dormir. Também pode ser feita em grupo. Enquanto algumas pessoas mentaliza-se uma palavra, outras utilizam um mantra, o silêncio total, a atenção na respiração, com a anulação de pensamentos, entre outros. Porém, de modo geral, praticar a meditação requer um local tranquilo, onde possamos nos concentrar, longe de fatores que possam interromper a concentração.

A importância da meditação para o trabalho

Também, podemos empregar a meditação para manter o equilíbrio emocional durante o trabalho. Muitas empresas vêm aplicando a meditação nos ambientes de trabalho, incentivando a prática aos seus colaboradores, que tem se mostrado eficiente quanto à melhora no bem-estar em suas vidas, assim como em seus desempenhos dentro da empresa.

O funcionário que medita se mostra mais calmo diante de situações de pressão, e menos no modo “automático” em suas tarefas, sendo mais criativo, inovador e expandindo suas competências dentro de seu cargo.

A Meditação é um Hábito

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a importância da meditação em seu dia a dia, que tal adicioná-la em sua rotina de hábitos saudáveis? Conte para a gente nos comentários se você já pratica algum tipo de meditação!

Veja mais artigos sobre saúde e bem-estar no blog da Samel.