Andropausa: sintomas, tratamentos e causas

A “menopausa masculina”, também conhecida como andropausa, costuma afetar os homens com mais de 60 anos. A DAEM (Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino) ocorre geralmente em uma fase mais tardia da vida, com a queda dos níveis do hormônio masculino, a testosterona.

Como a andropausa acontece

A partir dos 40 anos, os níveis de testosterona sofrem uma queda constante de, aproximadamente, 1% ao ano. São três quedas que acontecem inicialmente:

  • Nos níveis circulantes de testosterona livre (TL);
  • Nos níveis de testosterona ligada a albumina;
  • Nos níveis de globulina ligadora de hormônios sexuais (SHBG).

Após os 55 anos, também ocorre a queda gradual da testosterona total (TT). Isso significa que, um homem com aproximadamente 75 anos tem – em média – 65% da capacidade hormonal de um homem de 25%, no auge da fertilidade.

O que é testosterona?

A testosterona é um hormônio sexual masculino, da mesma forma que o estrogênio e a progesterona são os hormônios sexuais femininos. Ele é encontrado em grande quantidade no organismo do homem, mas também é presente nas mulheres, mas em pequena quantidade.
Nos homens, a testosterona é produzida nos testículos e, no caso do corpo feminino, ela é produzida pelos ovários e pela glândula em pequena escala.

Por que a andropausa ocorre?

O fator primordial para o desencadeamento da andropausa é a idade. Entretanto, se ela fosse o único motivo, todos os homens passariam por ela. Existem outros fatores que podem levar à queda da testosterona, e eles estão relacionados a hábitos de saúde física e mental, além de doenças específicas.

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Estadual de Diabete e Endocrinologia do Rio de Janeiro, as causas podem estar associadas a:

  • Queda da produção de melatonina;
  • Síndromes metabólicas;
  • Obesidade;
  • Hipertensão;
  • Baixa massa muscular;
  • Problemas na tireoide, como hiper ou hipotireoidismo;
  • Hábito de praticar jejum prolongado;
  • Alto consumo de carnes;
  • Tabagismo;
  • Abuso de drogas e álcool;
  • Estresse;
  • Presença de diabetes tipo 2;
  • Insuficiência renal;
  • Efeito de muitos medicamentos com ação adversa sobre a função testicular.

A andropausa não é considerada uma doença: ela é um quadro normalmente associado ao envelhecimento natural, e que pode ser controlado e atenuado com dieta adequada e atividades físicas.

Sintomas

Nos casos de baixa dos níveis de testosterona, os sintomas mais comuns são:

  • Diminuição da força e da massa muscular
  • Fadiga reconhecida pela redução da resistência física
  • Aumento da gordura visceral, conhecida como gordura abdominal, localizada na região da barriga e abdômen.
  • Alteração de humor com irritabilidade, depressão e alterações cerebrais com o comprometimento da memória e funções cognitivas – aprendizado, que envolve atenção, percepção, memória e raciocínio.
  • Interferência na vida sexual com a diminuição da libido, da quantidade de ereções noturnas e matinais e disfunção erétil.

Tratamento

O tratamento é feito à base de medicação. As mais utilizadas no Brasil são as injetáveis de curta e longa duração (Undecilato de Testosterona ou associação de ésteres de testosterona) e as transdérmicas em forma de solução axilar e gel cutâneo.